CastraPet atende 116 animais no município de Boa Ventura de São Roque

 CastraPet atende 116 animais no município de Boa Ventura de São Roque

Além de prevenir doenças, como câncer, outro objetivo do programa é evitar a reprodução desenfreada de cães e gatos, o que pode provocar maus-tratos, como abandono dos animais.

O Programa Permanente de Esterilização de Cães e Gatos (CastraPet Paraná) se despediu do município de Boa Ventura de São Roque, no Centro do Estado, na sexta-feira (10), com 116 cães e gatos castrados gratuitamente em dois dias de ação. Foram destinados ao município R$ 25 mil.

O CastraPet é uma iniciativa da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest), em parceria com os municípios, que fazem o cadastro das famílias beneficiadas.

O programa foi pensado para desenfrear a reprodução da população de animais abandonados, que podem transmitir doenças, ser vítimas de maus-tratos, bem como ajudar famílias e protetores de animais que não têm como pagar por esse serviço”, diz o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

O secretário municipal de Agricultura de Desenvolvimento, Junior Cezar Rodrigues do Sacramento, que apoiou a ação, já quer o programa novamente na cidade. “Tivemos senhores e senhoras com mais de 65 anos trazendo seus animais. Muito bom ver a população preocupada com a saúde de seus pets”, afirma.

Nesse segundo ciclo do programa, R$ 2,5 milhões provenientes do Fundo Estadual do Meio Ambiente e de emendas parlamentares serão utilizados para beneficiar 80 municípios. O primeiro ciclo atendeu 15 mil animais em 45 municípios, com investimento de R$ 2,4 milhões.

COMO PARTICIPAR – Para o município receber o CastraPet é preciso entrar com pedido junto à Sedest ou aos deputados estaduais para liberação de recurso. Ao ser contemplada, a cidade define pontos para cadastro dos animais, dentro do número de vagas disponibilizadas. A prefeitura também estabelece a prioridade de atendimento, seja para animais de famílias de baixa renda, de protetores ou/e de rua.

CIRURGIAS – As cirurgias são feitas dentro do castramóvel, veículo equipado para garantir a segurança dos pets durante os procedimentos. É preciso que os tutores respeitem o jejum absoluto (comida e água) dos animais por oito horas antes da castração. A medida é necessária para que se recuperem bem da anestesia.

Após a castração, as famílias recebem gratuitamente a medicação pós-operatória e aplicação de microchip eletrônico de identificação animal, além de todas as orientações para cuidados após o procedimento.

SAÚDE ÚNICA – O Programa CastraPet Paraná foi pensado dentro da política de saúde única da Secretaria, visando o bem-estar animal e humano e trabalhando na prevenção de zoonoses envolvendo o meio ambiente. Além de prevenir doenças, como câncer, outro objetivo do programa é evitar o nascimento desenfreado de cães e gatos, o que pode provocar maus-tratos, como abandono dos animais.

ARAPONGAS – Neste domingo (12) a ação se inicia no município de Arapongas, no Norte, e se estende até quarta-feira (15). Na região, a estimativa é castrar 231 animais já cadastrados pela prefeitura.

Saiba mais sobre o trabalho da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo em:
www.facebook.com/desenvolvimentosustentaveleturismo/