Policiais são ameaçados de morte por indivíduo que foi algemado após apedrejar residências em Pitanga

 Policiais são ameaçados de morte por indivíduo que foi algemado após apedrejar residências em Pitanga

A equipe policial foi acionada para dar atendimento a uma ocorrência de dano, onde segundo ligações, o elemento, estaria na Rua José Klosovski, proximidade da Delegacia da Polícia Civil, o qual estava bastante alterado, ameaçando os moradores do local e jogando pedra em cima das residências, de imediato foi deslocado até o local, onde em contato com o solicitante, o qual relatou que o elemento estava jogando pedra no telhado da sua residência, quebrando várias telhas do local, além de proferir ameaças, dizendo que mataria ele na “pedrada”.

A equipe visualizou o referido autor próximo ao local, sendo dada voz de abordagem, o qual num primeiro momento acatou as ordens da equipe policial, ressaltando que apresentava um pequeno corte próximo ao nariz, que segundo ele teria sido causado pelo solicitante no momento que entraram em luta corporal, o abordado se negou a informar seu nome para a equipe policial, dizendo: “eu sou conhecido na quebrada”, se não sabe meu nome eu quero que se foda“.

Diante de interesse em representação por parte do solicitante, a equipe informou ao abordado que o mesmo seria conduzido a sede da 3ª Cia da PM para lavratura do termo circunstanciado, porém, neste momento o abordado começou a se alterar, gritando com a equipe policial e tentando evadir-se do local, a equipe policial fez uso de força física moderada e uso de algemas, a fim de conter o abordado, o qual foi conduzido até a 45ª DRP de Pitanga.

Na delegacia, ao sair do camburão da viatura, o abordado mesmo estando algemado, tentou investir contra a equipe, com chutes e cabeçadas, além de proferir vários desacatos a equipe policial, dizendo: “vocês são uns policial de bosta”, “eu sei da tua caminhada  e vou te matar na quebrada“, dizendo que um dos soldado já havia conduzido o abordado em outras situações e que desta vez não ficaria barato, dizendo: “você vai pagar com a vida“, além dos xingamentos como: “seus bando de policial jaguara, pilantra, seus vagabundo de farda”,quero ver quando estiver sozinho na rua“.

Durante a confecção do boletim, o abordado batia a mão com a algema por diversas vezes, contra a porta que dá acesso as selas, dizendo que não seria uma algema que iria segurá-lo.

O abordado continuou negando o fornecimento dos dados pessoais, os quais foram conseguidos através do sistema Seps/intranet pela sua alcunha sendo então identificado.

Durante a confecção do boletim, entrou em contato outra vítima dos danos do autor, a qual informou que uma das pedras jogadas por rodrigo atingiu o relógio de água de sua residência, vindo a danificá-lo, porém, não tem interesse em representar contra o autor, pois segundo ela, se representar vai sofrer represálias por parte de autor que foi conduzido ao Hospital São Vicente de Paula, a fim de realizar o laudo de lesão corporal.