Preso em Pitanga, homem com mandado de prisão, após acionar a PM sobre furto de bateria

 Preso em Pitanga, homem com mandado de prisão, após acionar a PM sobre furto de bateria

No dia 07 de abril de 2021, às 09h00min, uma pessoa compareceu a sede da 3ª Cia da PM de Pitanga, juntamente com um masculino, sendo que este ficou no outro lado da rua em frente ao centro cultural, ela relatou que furtaram a bateria de seu carro na data de 06 de abril de 2021, por volta das 15h00min, apresentando a equipe policial uma nota fiscal de compra da referida bateria sendo de marca Free, 60 amperes, no valor de R$ 280,00, ela informou a equipe que sabia que a bateria estava escondida em um ferro velho, segundo ela, o autor do furto vendeu no local.

A equipe deslocou até lá, sendo que no local, foi localizado o suspeito, questionado o mesmo sobre o fato, ele informou que havia comprado uma bateria na data anterior, que segundo ele, quem vendeu a bateria disse que ela não prestava, e que era do seu próprio veículo, ele apresentou a equipe policial a bateria, a qual bate com as informações contidas na nota fiscal apresentada pela solicitante.

Diante dos fatos, a equipe conduziu ele, a solicitante e a bateria, sendo que durante deslocamento foi questionado a solicitante sobre quem seria a pessoa que chegou com ela na sede da 3ª Cia, a qual informou ser seu marido, conhecido no meio policial pela prática de furtos.

Foi efetuado consulta via sesp/intranet, onde foi verificado que o mesmo possui em seu desfavor, um mandado de prisão em seu desfavor pelo crime de furto, expedido pela comarca de Guarapuava.

Diante dos fatos, a equipe retornou a 3ª Cia, onde foi abordado, sendo apresentado a ele o mandado de prisão e conduzido a 45ª DRP, com os demais envolvidos.

Ao chegar na delegacia, o suspeito de receptação falou a equipe policial que a pessoa que lhe vendeu a bateria teria sido o mesmo que estava com mandado de prisão. Questionado ele sobre o fato, o mesmo informou que vendeu a bateria para conseguir dinheiro rápido. Questionado a solicitante se tinha conhecimento do fato, a mesma informou que sim, que momentos antes de chegar na companhia da polícia militar, o homem confessou ser ele que tirou a bateria do carro e vendeu. Ela disse que acionou a equipe, a fim de recuperar a bateria que seu esposo havia vendido como sucata.

Diante do exposto, ela foi arrolada pelo crime de comunicação falsa de crime, tipificado pelo artigo 340 do código penal. Foi dado fiel cumprimento ao mandado de prisão em desfavor do homem, o qual ficou a disposição da justiça. O outro masculino foi arrolado no boletim a fim de prestar depoimentos e aguardar os demais procedimentos cabíveis.